Fauna

Você ama os animais? Venha encontrar uma imensa coleção em seu habitat natural, a Mata Atlântica. Na tradição indígena brasileira cada animal traz um significado. Encontrar um animal é uma mensagem.  Para passeios de avistamento de animais procure nossos guias.

O Vale do Café tem fauna exuberante. A começar pelas aves. Mais de 200 espécies já foram identificadas cientificamente na região. Programe-se para viver os primeiros raios de sol aqui. Eles trazem um amor à vida, uma animação feliz inexplicável encorajada pelos cantos diversos de pássaros multicores, multiformes!   

A ave símbolo do Vale do Café é o Surucuá Grande de Barriga Amarela, linda ave azul de barriga amarela e alma ecológica: ele é o maior dispersor de sementes da Floresta Atlântica. Você provavelmente terá a chance de encontrar algum em seu caminho: ele significa prosperidade. 

As Seriemas, elegantes aves, nossas sereias aladas, grandes predadoras de cobras, se ouvem de longe. São mais difíceis de ver. A Águia Carcará, que apesar do nome é na verdade da família dos falcões, é presença garantida em esplêndidos sobrevoos solitários de fim de tarde. Gaviões, Marias-Faceiras pequenas garças de olhinhos pintados de verde, Jacus grandes faisões brasileiros, Saracuras, pequenas avezinhas do mato, inúmeros Beija-FloresTucanos e bandos de Maritacas frequentam os quintais com toda naturalidade.  O famoso Urubu, ajuda a limpar a natureza.

E se você tiver a sorte rara de ouvir o Urutau, ou “Mãe da Lua” uma ave noturna de cor clara, cantando à noite, pode ter certeza: segundo os povos da floresta, tudo de melhor na vida vai acontecer com você. O canto é incrivelmente lindo, tem cinco sons!

Entre os mais amados e respeitados mamíferos aqui, também escolhidos como simpáticos símbolos estão o Tamanduá que se alimenta de formigas, e as nacionais Capivara Paca com suas pintas. São animais de avistamento fácil.  Além destes, famílias de Quatis, Micos, Macacos, Lobos GuarásCaxinguelês (esquilos, outro sinônimo de sorte no caminho) são vistos com frequência. O Bicho Preguiça, mais raro, ama frutos e folhas da Embaúba e pode, quem sabe, ser visto agarradinho em uma. 

Borboletas, VagalumesEscaravelhos, insetos incríveis como o Bicho Folha (formato de folha), o Bicho Pau (formato de pequeno galho), o Louva a Deus (parece estar em posição de reza) rendilham ainda mais a floresta.  

No fantástico reino fluvial, a variedade é enorme: Dourados, Cascudos, Robalos, Lambaris, Carás, Traíras, Surubim do Paraíba, Piabanhas, Nhacundás, Curimbatás,

Camarões, Muçum, Caranguejos-Uçá e muitos outros.

Entre água e terra, repare no enorme grupo artístico de lagartos de diversos tamanhos, decorados, verdes, ou lisos que amam o sol, ou nas rãs multicores e sapos martelos cantando no fim de noite. 

Para fechar com chave de ouro procure ver nas noites de primavera e verão os “Uanás”, centenas de vagalumes que criam um fenômeno lindo e feérico de luzes na beira das florestas. 

Curadoria Instituto Zoo Botânico de Morro Azul