Valença

Valença
Cidade de História, Cultura, Música, do encontro com o Rio Vital Paraíba do Sul. Parques, Mirantes, Ciclismo, Natureza, Rios.

Valença é um município do Vale do Café que respira História, Cultura, Música e Belezas Naturais. A cidade possui casario e fazendas históricas do Século XIX. A Belíssima Matriz de Nossa Senhora da Glória, sua padroeira,  o Museu dos 4 artistas (Silvio Caldas , Nelson Gonçalves, Guilherme Brito e Gilberto Alves) e a Casa Lea Pentagna. Berço de nomes da Música como Clementina de Jesus e Rosinha de Valença.

As belezas naturais de Valença são inúmeras: cachoeiras, mirantes e trilhas das três Serras que ficam no entorno da cidade, a Serra da Beleza muito procurada por Ufólogos , devido a aparição de OVNIs, a dos Mascates e a da Concórdia onde se encontram o Parque Estadual da Serra da Concórdia e o Parque Natural Municipal do Açude da Concórdia

O Distrito de Conservatória, conhecido como a cidade das Serestas, destaca-se por seu casario histórico, onde cada casinha possui uma placa com o nome de compositores da música popular brasileira, a charmosa Antiga Estação Ferroviária, o Túnel que Chora  e a Ponte dos Arcos são passeios imperdíveis. O Museu da Seresta com vasto acervo de quadros, fotos, instrumentos e letras de músicas, o Museu Vicente Celestino e Gilda de Abreu, o Teatro Sonora e o Cine Centímetro, uma réplica idêntica do extinto Cine Metro Tijuca, o espaço Marco do tempo, um pequeno estúdio onde pode-se fazer fotografias de época e ainda andar pelas ruas e  encontrar o rico Artesanato local, cachaças, doces e laticínios.

Conhecer a comunidade do Quilombo de São José da Serra, onde moram os descendentes de africanos vindos do Congo, Guiné e Angola. Com suas manifestações culturais e suas tradições. 

O Distrito Barão de Juparanã (em tupi guarani, rio grande) é uma idílica cidade, de não mais que 5 mil habitantes, muito próxima ao centro de Vassouras, à beira do Rio Paraíba do Sul.  Sua Igreja, dedicada à Nossa Senhora do Patrocínio, atrai devotos da área de cultura e esportes de todo o Brasil.

Duas fazendas próximas ao centro se destacam.  A Fazenda Santa Mônica, onde morou e faleceu Duque de Caxias, hoje sede da Embrapa, e o Solar da antiga sede da Fazenda Monte Scylene, que pertenceu à Princesa Isabel e o Conde D’Eu.

A Princesa e seu marido criaram um internato de menores que funcionou até pouco tempo, e que foi comprado pelo Estado do Rio de Janeiro para restauração.

Em abril, a Festa de São Jorge atrai centenas de cavaleiros de todo o Vale do Café, que buscam a bênção e a vitória sobre o dragão.

As estrelas turísticas do município são os belíssimos Parques. O primeiro é o Parque Estadual da Serra da Concórdia de quase 6000 hectares, com cachoeiras, trilhas, mirantes, infraestrutura de camping e enorme maciço vegetal preservado de Mata Atlântica.

Um gigante para quem ama o verde.

Bem próximo, o histórico Parque Municipal do Açude da Concórdia. O Parque foi construído por volta de 1890, nos tempos do Barão de Santa Mônica. Possui 23 hectares. Seu principal atrativo é o Açude da Concórdia, que possui 18 hectares de lâmina d’água. Para caminhar, 12 trilhas bem sinalizadas na Mata Atlântica, entre elas, Jequitibá, Bica da Rainha e Toca da Onça.

Ainda em Juparanã, Jupa, como é carinhosamente chamada por seus habitantes, há duas pontes belíssimas que ornamentam o rio, construídas pelo Barão de Juparanã no século 19 para escoar sua produção de café e possibilitar o acesso da estrada de ferro. A primeira se chama Desengano, nome que indica sua origem: um desafio sobre a construção do acesso da estrada de ferro até a cidade. A segunda se chama Paraíso e pode ser vista por baixo na Estrada que vai a Sebastião de Lacerda.

Uma cidade de encontro com uma das maiores forças da natureza: a água.

Imperdível!