Beira rio

Beira rio

O Vale do Café é repleto de água. Inúmeros riachos e rios compõem a paisagem criando cachoeiras e lagos. Há rios dentro de florestas, rios em beira de campos, riachos. Em Barão de Juparanã, você encontra uma entidade natural maravilhosa: o Rio Paraíba do Sul. O maior rio do sudeste brasileiro, que alimenta de água Rio de Janeiro e São Paulo. Por todo o Vale há várias praias de rio, remansos, pontos de travessia… 

A areia grossa de “goginhos” como chamam as pedras roladas cor de mel, do tamanho de azeitonas grandes, cobrem o fundo do rio e as praias do “Parahyba”.

Algumas ilhas preenchem o grande diâmetro do leito, criando sinuosidades. 

A vegetação é baixa, e o rio na maior parte das vezes é acompanhado por estradas e campos em longos trechos. 

Neste cenário pescadores e lavadeiras rendilharam histórias e cantos que permanecem até hoje, como nestes 3 jongos cantados pelos jongueiros do Vale do Café: 

*Ô lavadeira, ô lavadeira, o que fez com minha camisa? Foi rodando, foi rodando foi parar no Paraíba. Machado! 

*Santo Antônio pequenino, atravessou Paraíba de joelho, atravessou Paraíba de joelho. Machado! 
*Minha raiz é negra, veio de Angola distante 2x
Às margens do Paraíba em Pinheiral, meu caxambu responde 2x
Meu avô me ensinou a tocar tambú,
 Meu avô me ensinou a respeitar os cubas,
Foi ele quem me disse pra não tomar banho no rio, se a água do rio tá funda 2X
Me aconselhou toma banho na beiradinha, no Rio Paraíba
Oi toma banho na beiradinha, no Rio Pinheiral
Oi toma banho na beiradinha, oi toma banho na beiradinha.
Machado!

(recolhido diretamente de Fatinha do Jongo de Pinheiral maio 2020) 

Vale conhecer de perto este gigante!